Servier e o Instituto Curie ampliam a sua parceria na luta contra o câncer

Pesquisa

No dia 05 de setembro, a Servier e o Instituto Curie decidiram ampliar sua colaboração na luta contra o câncer por três anos, e estendendo além do câncer de mama às novas áreas de pesquisa como: imuno-oncologia, hematologia e cardiologia.

Nos últimos 12 anos, a Servier e o Instituto Curie têm trabalhado para promover pesquisas sobre o câncer. Com base nesse sucesso, as equipes decidiram ampliar sua colaboração por mais três anos incluindo essas novas áreas de pesquisa.

Os principais objetivos desta parceria são identificar novas combinações terapêuticas (o uso de dois tratamentos complementares para aumentar a eficácia e reduzir os efeitos adversos), incluindo moléculas do portfólio de desenvolvimento da Servier e estabelecer uma melhor caracterização dos pacientes que podem se beneficiar de determinadas moléculas.

Além do câncer de mama, a parceria Servier e Instituto Curie também inclui imuno-oncologia, hematologia e cardiologia, ainda com a mesma ambição: desenvolver tratamentos inovadores em benefício dos pacientes.

Os programas conjuntos de pesquisa, abrangidos por esta parceria lançada em 2005, já resultaram na identificação de vários alvos terapêuticos, como, por exemplo, TTK / MPS1 quinase, uma enzima envolvida no ciclo celular. A desregulamentação desta enzima leva à proliferação celular anormal, o que, por sua vez, facilita o desenvolvimento de tumores. A inibição de sua atividade, portanto, tem potencial para reduzir o crescimento tumoral.

“Nos últimos doze anos, conseguimos apreciar não só as vantagens desta parceria público-privada para pesquisa e inovação que beneficia os pacientes, mas também a excelência das equipes do Instituto Curie na pesquisa fundamental e clínica”, disse Mike Burbridge, Diretor de Pesquisa Translacional e Clínica em Oncologia da Servier.

“A colaboração entre o Instituto Curie e Servier é o projeto mais ambicioso que nosso instituto já teve com um parceiro industrial. A longevidade desta parceria histórica é testemunha de nossa confiança mútua, o que é reforçado pelo grande progresso que tem sido feito na pesquisa sobre câncer de mama “, disse Amaury Martin, Diretor do Departamento de Transferências e Transferências Industriais do Instituto Curie.

De fato, as parcerias público-privadas são um ativo quando se trata de desenvolver terapias que atinjam necessidades médicas significativas, pois aceleram o desenvolvimento de tratamentos inovadores. Eles também aumentam o potencial de pesquisa dos centros de pesquisa acadêmica. Por exemplo, desde o seu lançamento, esta parceria levou à criação de três cargos permanentes no instituto Curie e ao recrutamento de 25 técnicos, engenheiros, estudantes e jovens pesquisadores temporariamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *