Estudo envolvendo Apple Watch e outros dispositivos podem detectar diabetes em estágio inicial.

Pesquisa

Um estudo de larga escala envolvendo usuários de Apple Watch e Android Wear aponta que os dados de frequência cardíaca detectados pelo dispositivo podem mostrar sinais de diabetes em estágio inicial. Esse estudo é uma colaboração entre a Universidade da Califórnia – San Francisco e o aplicativo de saúde Cardiogram, que mede a precisão de um novo algoritmo de medição em um grupo que inclui 463 participantes com diabetes previamente diagnosticada.

O Co-fundador do Cardiogram, Johnson Hsieh, explica como a condição de diabetes inicial pode ser diagnosticada usando nada além dos dados de taxa cardíaca:
“Seu coração é conectado com seu pâncreas através do sistema nervoso autônomo. Conforme as pessoas começam a desenvolver os primeiros sinais de diabetes, o padrão de variação das suas frequências cardíacas muda. Em 2015, o ''Framingham Heart Study'' mostrou que a variação entre alta e baixa frequência cardíaca prevê quem desenvolverá diabetes durante um período de 12 anos. Em 2005, o ''ARIC study'' mostrou que a variação do batimento cardíaco declina rápido nas pessoas com diabetes em comparação aos não-diabéticos durante um período de 9 anos.”
Os dados do aplicativo Cardiogram foram analisados ​​pela DeepHeart, uma rede neural, e 14.011 usuários do Cardiogram para Apple Watch e Android Wear foram recrutados no Health eHeart Study. Foram captadas frequências de pessoas com e sem diabetes, hipertensão, apneia do sono, fibrilação atrial e colesterol alto. A taxa de precisão foi de 85% – boa o suficiente para justificar novos exames médicos e assim, confirmar o diagnóstico.

O co-fundador Brandon Ballinger disse que o próximo passo seria incorporar o DeepHeart diretamente no aplicativo Cardiogram. Esses estudos foram apresentados nas sessões científicas anuais da American Heart Association em novembro de 2017 e Heart Rhythm Society em maio de 2017. Já existem uma série de histórias sobre o Apple Watch alertando os proprietários para condições de saúde não diagnosticadas, com algumas delas credenciando o relógio por salvar sua vida.

Posts Relacionados

Terapia de Realidade Virtual poderia ajudar as pessoas com depressão Um novo estudo da UCL e ICREA-Universidade de Barcelona informa que uma terapia de realidade virtual imersiva poderia ajudar as pessoas com depressão ...
Novo laboratório da Servier é instalado para acelerar a descoberta de medicamentos inovadores A nova plataforma tecnológica criada pela Servier foi inaugurada em 23 de junho de 2016. Projetado em parceria com Síncrotron SOLEIL e NovAliX, o novo...
O Brasil tem excelência em pesquisa científica Executivo veio ao Rio para traçar o futuro do laboratório no país, onde pesquisa com a Fiocruz tratamentos para o câncer a partir da flora local. “...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *